Como Escolher o Vinho Certo?

No universo dos vinhos, existe uma imensa variedade, capaz de confundir até quem já está habituado ao consumo da bebida.

Tipos de uva, estilos, região de origem, harmonização, sabores e serviço são fatores que influenciam diretamente na escolha do rótulo ideal e, se isso parece algo complicado, as dicas da sommelière servirão para desmistificar essa ideia. 

Como Escolher o Vinho Certo?

Acompanhe as orientações dela e aproveite para se servir de uma taça. Saúde!

1- Refrescância 

Se você prefere bebidas mais geladas e frescas, os vinhos brancos e rosés são uma boa pedida.

Vinho Rosado Pavão
750 ml

2- Escolha segura 

Para quem está começando a beber, as uvas Pinot Noir e Merlot são uma boa opção.

Vinho Pinot Noir
Classiques Ardeche
750 ml

3- Reserva

Quando o vinho recebe o título Reserva no rótulo significa que ele teve passagem por barrica, ou seja, recebeu um tratamento especial na vinícola com passagem por madeira.

Vinho Balduzzi Reserva
Cabernet Sauvignon
750 ml

4- Espumantes

Os vinhos espumantes podem ser bebidos o ano todo, não precisam ficar guardados para o réveillon!

Vinho espumante
She’s Rosé Pinot Noir
750 ml

5- Harmonização

Pra não errar, vinhos brancos harmonizam com frutos do mar e peixes e vinhos tintos com carnes vermelhas. Para harmonizações mais ousadas, fale com um de nossos consultores.

Vinho Nuà
Lambrusco Emilia Rosso
750 ml

6- Migração

Para quem toma vinho suave (doce) e quer migrar para os secos, a dica é experimentar os lambruscos, depois alguns vinhos da uva Merlot. Legal também é fazer harmonização, você vai se impressionar como o vinho pode valorizar uma macarronada simples.

Vinho Reserva San Fernando
Canelones Uruguay – Tannat
750 ml

7- Rótulo

As informações mais importantes no rótulo são: a uva (cada uva tem uma característica diferente, você precisa descobrir qual a sua favorita).

A região (assim como a uva, cada região tem estilos diferentes, portanto desbrave o mundo em torno dos vinhos).

A safra (vinhos com o ano mais próximo, são mais leves, ligeiros e frutados. Já os vinhos mais velhos têm maior complexidade de aromas e sabores).

E, por último, mas não menos importante, o produtor: cada um ressalta características diferentes, é bom conhecer qual a proposta da vinícola e ver se você gosta disso no vinho dela.

Vinho Doña Dominga
Reserva 4 Cepas – Chile
750 ml

8- Degustação

Na hora de beber um vinho, é interessante que o deixemos respirar um pouco no copo ou na taça, para que, quando formos perceber os aromas, não sejam unicamente do álcool. Aos poucos, você começa a identificar os aromas, e depois vai degustar para sentir o tanino e a acidez.

Vinho Amat
Tannat Uruguay
750 ml

9- Taninos

Sabe o que é o tanino? Aquela amarra na boca, que lembra a sensação de comer uma banana verde, uma leve sensação de “travamento”. Isso combina muito bem com as carnes vermelhas, por isso é bacana harmonizá-las com vinhos tintos, que têm mais taninos do que os brancos e rosés.

Vinho Poggio Felice
Montepulciano d’Abruzzo
750 ml

10- Acidez

Sabe o que é a acidez do vinho? É quando terminamos de beber e continuamos salivando. Isso é perfeito para combinar com queijos e molhos mais cremosos. Assim, quando salivamos, limpamos nosso paladar e conseguimos perceber melhor os sabores do alimento.

Crédito | Fotos Shutterstock