O Vinho Quente pelo Mundo

Veja como a bebida remete às festas – do Natal europeu ao período junino brasileiro

Mais recentes

Vinho Quente

No Brasil, o vinho quente é uma bebida que tradicionalmente remete às festividades de São João e outras festas juninas e “julinas”. Mas mundo afora o consumo de vinho quente é muito comum. Na verdade, a bebida tem origem na Europa, onde é consumida nos meses de inverno, e é muito antiga. O vinho quente pode ter sido criado por volta do século 2 pelos romanos.

A sua popularidade cresceu durante a Idade Média, quando as especiarias, como a canela e o cravo, foram adicionadas à receita para aprimorar o sabor e o aroma. A bebida era geralmente consumida em ocasiões festivas e servida em tigelas ou canecas de cerâmica, aquecidas sobre o fogo.

Vinho quente

Popularidade

Com o tempo, o vinho quente tornou-se popular em toda a Europa, com diferentes receitas e variações regionais. Na Alemanha, por exemplo, é conhecido como “Glühwein”, enquanto na França é chamado de “Vin Chaud”, como veremos a seguir. 

Embora existam versões sem álcool, a receita tradicional leva vinho tinto e especiarias. Segundo registros históricos, o objetivo de quem a criou era evitar o desperdício de garrafas prestes a vencer. E aproveitar as propriedades medicinais das especiarias. Além de aquecer os soldados durante as intensas batalhas de inverno.

A bebida chegou ao Brasil por meio dos imigrantes europeus. Que popularizaram a receita nos meses mais frios do ano, principalmente na região Sul. Uma curiosidade é que, em alguns estados, o vinho quente também é chamado de quentão. No Nordeste, onde há muita cana-de-açúcar, é feito adicionando-se cachaça à receita tradicional do quentão de vinho.

Quentão

Mundo afora

Mulled Wine 

No Reino Unido, o vinho quente é conhecido como Mulled Wine (vinho temperado, em tradução livre). Apesar de ser antiga, a bebida teria se popularizado a partir da publicação do livro A Christmas Carol, em 1843, que descreve uma receita com vinho do Porto, vinho tinto, limão-siciliano, laranja-azeda, açúcar e especiarias, como o cravo.

Glühwein 

Este é o nome da bebida nos países de língua alemã e pode ser traduzido livremente como “vinho incandescente”. A receita mais popular da Alemanha leva canela, cravo, uma fruta cítrica e açúcar. Mas há variações com outros vinhos que não os de uva, com vinho branco ou com uma dose de rum adicionada. 

Vin Chaud 

Na França, o vinho quente é conhecido como Vin Chaud e não é associado somente ao Natal, como ocorre no Reino Unido. O consumo dura o inverno todo e tem tudo a ver com festas e reuniões entre amigos. Açúcar mascavo, laranja, limão, canela, cravo, pimenta, anis-estrelado e gengibre são os ingredientes mais usados.

Glögg 

A tradição do vinho quente também é uma realidade nos países nórdicos, onde o inverno costuma ser bem rigoroso. Por lá, o consumo de Glögg é mais comum no Natal e a diferença dos anteriores é que esta versão pode levar passas e amêndoas, dando um toque especial ao sabor final da bebida, além de whisky.

Vin Brûllé 

É assim que se chama o vinho quente na Itália. Brûllé, em francês, significa queimado. Não se sabe ao certo por que a bebida é chamada dessa forma pelos italianos, mas o fato é que o vinho quente é servido nas festas de Natal, em canecas de cerâmica e pode levar rum, conhaque ou, para versões mais leves, suco de laranja.

Quentão

Já no Brasil, o vinho quente é feito com frutas, numa versão mais tropical. Afinal, embora seja uma bebida para esquentar, nem todas as regiões do país têm invernos tão gelados quanto a Sul, onde o vinho quente também é conhecido como quentão. Maçã é a fruta mais usada, mas há versões que levam abacaxi, laranja e morango.

O Vinho Quente Ideal

Considerando que há muitas receitas diferentes de vinho quente, incluindo as que são feitas com vinho branco, uma dúvida que pode surgir é em relação ao rótulo ideal para o preparo. Entre as receitas mais populares no Brasil, muitas pedem o vinho suave, mas, lembrando que normalmente são usados açúcar ou mel, talvez o vinho adocicado possa ser considerado um exagero. Nesse caso, a dica é adaptar a receita para não ficar muito doce.

Entre os secos, os vinhos mais leves, frutados e fáceis de beber costumam combinar de maneira bastante harmoniosa com as frutas e especiarias que são adicionadas ao vinho quente. Alguns exemplos são os produzidos a partir de uvas como Pinot Noir, Gamay, Cabernet Franc e Garnacha/Grenache. Mas o vinho quente também fica muito saboroso com rótulos feitos a partir das uvas Merlot, Cabernet Sauvignon e Carmènére.

Por outro lado, se tem algo que não pode gerar dúvida é a qualidade do vinho usado para fazer o vinho quente. Quer obter um resultado perfeito, harmonioso e que seja sofisticado na medida? Escolha um bom rótulo.

Quentão com Gemada

Quem não vive no sul do Brasil pode achar a mistura de vinho com gema de ovo um tanto quanto inusitada, mas o fato é que o quentão com gemada, consumido na região (principalmente em cidades catarinenses), é uma iguaria cremosa que pode substituir o vinho quente tradicional com tranquilidade. Na receita, além de frutas, especiarias e cachaça, vai uma porção de gemada batida feita com ovos e açúcar, o que confere cremosidade e muito sabor à bebida.

Segredinhos do vinho quente

Preparar um vinho quente delicioso não é uma tarefa complicada, mas é essencial tomar alguns cuidados para garantir o sabor e a qualidade da bebida:

–  Aqueça o vinho lentamente em fogo baixo.

–  Prefira uma panela de fundo grosso, evitando queimar.

–  Não exagere no açúcar – adicione aos poucos e prove para garantir equilíbrio.

–  Se quiser uma bebida mais leve, deixe o vinho quente ferver por alguns minutos.

–  Adicionar baunilha em fava ou extrato à receita promove uma camada extra de sabor.

 

Quentão com gemada

Quentão

Ingredientes

  •   1 litro de água
  •   1 xícara (chá) de açúcar
  •   4 rodelas de gengibre
  •   4 cravos-da-índia
  •   2 paus de canela
  •   2 anis-estrelados (opcional)
  •   Cascas de 1 laranja (sem a parte branca)
  •   Cascas de 1 limão (sem a parte branca)
  •   1/2 xícara (chá) de cachaça (opcional)

Preparo 

Em uma panela grande, coloque a água e o açúcar. Leve ao fogo médio-alto. Mexa até o açúcar se dissolver completamente.

Adicione o gengibre, os cravos, a canela, os anis, as cascas de laranja e de limão à panela.

Deixe a mistura ferver por cerca de 15 minutos, em fogo médio, para que os sabores se misturem e o líquido reduza.

Se desejar adicionar álcool à receita, desligue o fogo e acrescente a cachaça. Mexa bem.

Em seguida, tampe a panela e deixe descansar por cerca de cinco minutos.

Depois do tempo de descanso, coe a bebida para remover os pedaços de gengibre, cravos, canela, anis e cascas de frutas.

Sirva o quentão quente em xícaras, canecas ou copos próprios para bebidas quentes.

Decore com rodelas de laranja, fatias de maçã e paus de canela antes de servir.

Crédito | Fotos Shutterstock

Recomendados para você